Prefeitura de Poá exonera comissionados para enfrentar a crise financeira

A Prefeitura de Poá vai enfrentar uma grande crise financeira após a mudança na lei do ISS (Imposto Sobre Serviços) e nos últimos meses diversas situações têm sido estudadas, em diferentes áreas e pastas, visando amenizar esta grave situação, mas sempre levando em consideração o melhor para população. Em agosto, uma das primeiras medidas aplicadas foi a demissão de todos os secretários-adjuntos e nesta segunda-feira (16) os funcionários comissionados foram exonerados, totalizando a extinção de aproximadamente 80 cargos.

Com a queda de aproximadamente R$ 100 milhões no Orçamento para o ano de 2018, a administração municipal precisa diminuir a folha de pagamento. E a demissão de funcionários aconteceu em todas as secretarias municipais e as exonerações foram definidas pelos próprios comandantes das pastas, que analisaram a necessidade de cada departamento e como os mesmos poderiam continuar operando com o expressivo corte de servidores.

Além das demissões, outras ações estão sendo colocadas em prática para o enfrentamento da crise financeira. Entre elas a redução de secretarias municipais de 21 para 14 pastas (preparativos do projeto de lei estão sendo finalizados), renegociação de contratos de prestação de serviço e entrega de imóveis locados. Novas medidas ainda estão em estudo para serem aplicadas e serão divulgadas posteriormente, pois ainda dependem de definições relacionadas à legislação, convênios e contratos.

Mudança na lei
Após a mudança na lei do ISS municípios-sede de empresas financeiras serão totalmente prejudicados. Com a votação no Congresso foi alterada a forma de recolhimento do tributo: hoje, ele é feito pela cidade onde a empresa tem sede, mas passará a ser cobrado no local de prestação do serviço.

No município de Poá, o Itaú representa aproximadamente 40% de toda a receita corrente. A cidade é sede das operações de cartões e de leasing do banco.


Comentários no Facebook