Sede do Polo Digital de Mogi das Cruzes completa 1 mês e identifica projetos promissores

A entrega da sede do Polo Digital de Mogi das Cruzes completará um mês no próximo dia 26 de outubro. Hoje, 915 empreendedores estão inscritos no programa, cujo principal objetivo é incentivar o surgimento de novas startups. Nestes 30 dias de atividades, as iniciativas que visam a capacitação dos chamados “startupeiros” seguem a todo vapor, com destaque para os workshops, ações de coworking, mentoria e treinamento. Pelo menos três projetos se destacaram estão sendo lapidados pelos técnicos.

“O nosso programa de treinamento, que está em curso, realizou dois grandes eventos em outubro que contaram com a presença de 90 empreendedores. Focamos em temas como pesquisa de mercado, criação de startup com baixo investimento, marketing digital de resultado, inbound sales – que resumidamente trata da estratégia digital de vendas de modo natural, sem incomodar o consumidor – gestão financeira, relação com investidores e o roteiro para montagem de um pitch, que nada mais é do que fazer uma boa apresentação do seu negócio para possíveis investidores”, destaca o prefeito Marcus Melo.

Além do programa de treinamento, o Polo Digital está realizando o projeto Empreenda, em parceria com o Sebrae, workshops com a agência de fomento Desenvolve SP, com a participação do BNDES e a Investe SP. “Ainda temos também uma grande procura no espaço de coworking, com 45 membros utilizando efetivamente o espaço. E esta troca de informações, de conhecimento, este networking, é imprescindível para o crescimento dos empreendedores e pode ser o berço de boas parcerias de negócio”, salienta o prefeito.

O coordenador do Polo Digital, Rodrigo Garzi, chama ainda a atenção para o trabalho de mentoria. “Muitas pessoas chegam ao Polo Digital com muitos projetos, mas não tem o conhecimento necessário para fazer sua ideia sair do papel, se tornar viável. Nosso papel é dar as orientações necessárias para que a proposta se torne viável, atenda as necessidades do mercado e realmente possa chamar a atenção dos investidores”, resume.

Outra iniciativa que se destaca no Polo são os grupos de trabalho já formados. Ele cita, por exemplo, as aulas de extensão e laboratório com os alunos da Fatec, mentorias para projetos de TCCs para alunos da Universidade Braz Cubas e eventos específicos para programadores do grupo Alto Tietê Coders.

“Juntar estes grupos que têm como objetivo incentivar a formação das startups, da cultura digital, em torno do nosso Polo Digital é uma das nossas premissas. É um trabalho de médio e longo prazo, mas temos muita gente talentosa em Mogi e tenho absoluta convicção que o Polo está se tornando um indutor de uma nova economia criativa. Mogi das Cruzes tem todas as condições de vir a ser um novo polo tecnológico, impactando positivamente o Brasil e o mundo”, assinala o prefeito.

Talentos

Três empreendedores que tem participado do Programa de Treinamento do Polo Digital tem se destacado durante as atividades. Um deles é Lúcio Ueda, que desenvolve uma ferramenta online para condomínios e administradoras que agilizam processos de compras, pois sintetiza, padroniza e compara até três orçamentos, facilitando a tomada de decisão com absoluta transparência.

Outro projeto aposta no desenvolvimento de um software para gestão contábil, financeira e controle de frente de caixa para empresas. Desenvolvido por Marco Túlio, o produto pode ser comercializado como franquia.

Já a proposta apresentada por Grazielli Silva aposta no serviço de apoio às mães empreendedoras, que indica escolas credenciadas próximas a seus compromissos, para que elas possam deixar seus filhos durante algumas horas.

“Estes três projetos estão mais adiantados, mas isso não significa que não temos outras boas ideias. Aliás, é preciso elogiar o nível das propostas que estão sendo apresentadas e tenho certeza absoluta que ao final do processo teremos outros destaques”, informa o coordenador do Polo.

Demo day

Em dezembro, o Polo Digital deverá realizar uma rodada de apresentação dos projetos selecionados no Programa de Treinamento. “Cada empreendedor selecionado poderá apresentar seu negócio para investidores, empresas de venture capital, privaty equity e outros. É a oportunidade de convencer o público investidor que a sua proposta tem potencial, que realmente é uma ferramenta útil, que possa resolver ou atender a uma necessidade da sociedade”, explica Rodrigo Garzi.


Comentários no Facebook